Redução de desperdícios e excesso de materiais: qual é o equilíbrio?

Com a ascensão da sustentabilidade como pilar industrial, muitas operações e setores têm estudado novas soluções para a redução de desperdícios. Sendo assim, aproveitamos o momento para elaborar este texto especial sobre o tema, em que explicamos as principais curiosidades e práticas para esse objetivo.

Portanto, este é um conteúdo fundamental para todos aqueles que buscam implementar o lean manufacturing em suas indústrias, com operações mais enxutas, produtivas, otimizadas e eficientes dentro do contexto econômico, social e ambiental. Por isso, não perca a chance de alavancar a sustentabilidade do seu setor e acompanhe esta leitura!

O papel da redução de desperdícios na indústria

Sustentabilidade, produtividade e economia. Basicamente, esses são os três principais pilares que justificam essa tendência crescente na realidade industrial. Até certo ponto, a redução de desperdícios é um conceito bastante autoexplicativo em seus métodos e resultados, pois se concentra fortemente em temas como a gestão de estoques.

Tecnicamente, o objetivo dessa metodologia é revisar todos os processos da cadeia produtiva, observando excessos, desperdícios e perdas. Com a identificação dessas vulnerabilidades, os gestores e analistas podem elaborar soluções para contornar esses problemas, otimizando o volume de matéria-prima aplicada em cada situação.

Por conta disso, a indústria acaba colhendo resultados positivos entre o médio e o longo prazo, que tendem a ser observados sobretudo no campo econômico. Afinal de contas, eliminar o desperdício tem um efeito direto nos valores gastos na compra de suprimentos, possibilitando um orçamento mais folgado, com um futuro aumento das margens de faturamento.

A importância desse conceito

Mas apesar da economia ser um ponto central dessa estratégia, vale notar que essas não são suas únicas vantagens. Com isso em mente, elencamos três pontos importantes para a saúde operacional da sua indústria, demonstrando como e onde a redução de desperdícios pode beneficiar sua operação. Veja!

Disponibilidade

Entre todas as tarefas de uma indústria, a gestão de suprimentos é uma das mais complicadas, exigindo uma série de informações atualizadas para o analista encarregado pelo departamento. Com a redução de desperdícios, a operação percebe uma melhora imediata na disponibilidade de matéria-prima e demais recursos, sendo o primeiro benefício a ser notado após a implementação da estratégia.

Eficiência

Antes de qualquer coisa, a redução de desperdícios é também um método de revisão operacional, em que os gestores examinam todos os setores em busca de oportunidades de melhoria. É em meio a esse “pente fino” que se encontram processos e etapas desnecessárias — que aumentam custos, provocam perdas e prejudicam o lead time. É com o corte dessas deficiências que a operação ganha um boost em sua eficiência operacional.

Produtividade

Como em um efeito cascata, todos os benefícios anteriores se somam para entregar uma grande melhoria no fluxo produtivo. Isso porque tudo funciona melhor em uma operação otimizada, em que existem menos custos, mais produtividade, eficiência e economia.

As diferenças entre a redução de desperdícios e de custos

Mas é justamente aqui que encontramos a confusão mais comum no tema. Até certo ponto, é um tanto comum que as pessoas confundam a redução de custos e desperdícios, pois as enxergam como práticas equivalentes. No entanto, é importante perceber que isso não é verdade.

Enquanto a redução de desperdícios foca em eliminar excessos produtivos — compra de materiais, procedimentos desnecessários, aplicações inadequadas, manuseio de materiais e afins — a redução de custos se concentra no corte de gastos, tornando a operação mais enxuta do ponto de vista econômico.

Em essência, ambas são práticas bastante analíticas, que exigem uma análise detalhada de toda a operação para encontrar os excessos, mas, como pôde ver, elas atacam pontos diferentes. Contudo, vale notar que existem situações em que a redução de custos pode ser complementar à redução de desperdícios.

Por exemplo, digamos que a sua empresa revise a gestão de suprimentos, adotando um sistema de Business Intelligence e Big Data para o monitoramento das quantidades e controle de estoque, ou, ainda, que implementou sistemas de lubrificação automatizada em todas as máquinas.

Como consequência direta, ambas estratégias entregam maior controle e precisão no uso e acompanhamento das quantidades dos materiais. No fim das contas, isso beneficia os orçamentos de compra desses produtos, com pedidos mais acertados e que serão melhor aproveitados.

O resultado disso tende a ser diretamente econômico, com compras maiores feitas em intervalos proporcionalmente maiores. Como você já deve saber, a aquisição de produtos em maior volume também possibilita a redução do preço, o que é uma manifestação direta da redução de custos.

Por fim, essa redução dos gastos também é vista sob o aspecto de economia indireta, em que a indústria deixa de gastar com procedimentos de manutenção provocados por quebras ou reposição de mercadorias danificadas por processos ineficientes.

Os métodos para a redução de desperdícios na indústria

A grosso modo, existem três estratégias pontuais para a redução de desperdícios. A primeira delas é a gestão produtiva, que foca em examinar e controlar o andamento operacional dos seus processos. Essa é a principal área a ser influenciada pelo lean manufacturing, que dita a importância de se produzir apenas no limite do necessário, sem excessos que causem problemas de armazenamento e ociosidade lucrativa.

O segundo ponto é a própria gestão de materiais na indústria. Assim como abordamos no tópico anterior, é muito importante que a empresa invista em soluções tecnológicas para o acompanhamento e utilização dos estoques, seja em áreas de manutenção, com o uso dos lubrificantes, ou produtivas, com o emprego da matéria-prima. Seja como for, o objetivo é que a cadeia produtiva opere no limite de uma produção sustentável, equilibrando menor ociosidade com o menor excesso produtivo possível.

Por último, e talvez mais importante, destacamos a manutenção preventiva. Como você bem sabe, esse é o processo responsável por se antecipar aos desgastes das máquinas, promovendo a substituição de peças e realizando procedimentos de conservação. Com isso, é possível garantir a operacionalidade dos equipamentos em seu melhor estado, com boa eficiência energética e produtiva.

A indústria hoje requer atenção redobrada para adotar todas essas melhores práticas em relação à redução de desperdícios. A harmonia entre os processos, afinal, é fundamental para um comportamento positivo e com atitudes estrategicamente inteligentes que só tendem a agregar mais produtividade e resultados progressivamente satisfatórios.

Fonte: https://inovacaoindustrial.com.br

Conheça a comercial 2001, uma empresa que fornece tudo que sua indústria precisa!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *